Tartarugas Marinhas de Cabo Verde
Plataforma de divulgação do trabalho em defesa das Tartarugas Marinhas em Cabo Verde
26 Agosto 2010
PROJECTO ESPERANZA, COMUNIDADES PISCATORIAS DE CARRIÇAL E PREGUIÇA
CONCELHO DA RIBEIRA BRAVA
SÃO NICOLAU
A campanha teve início no 1º de Julho, por iniciativa de voluntários das Comunidades de Preguiça e Carriçal, com apoio da Câmara Municipal de Ribeira Brava e  biólogos do INDP. São monitorizadas as praias de Porto de Lapa e Carriça

 

jovens voluntários na prospecção matinal das praias

 

 

 

Com apoio de jovens voluntários internacionais, até o momento tem-se registado os seguintes dados:

 - 21 tartarugas reprodutoras da espécie Caretta caretta marcadas,
 - 12 ninhos que serão seguidos até sua eclosão
Ainda, a equipa recebeu uma tartaruga verde (Chelonia mydas) que foipescada por um anzol de linha a mão. depois de ter tratada das feridas foi de novo enviada ao mar por jovens e crianças de Carriçal
Parabéns a equipa de voluntários, monitores e biólogos que apoiam o trabalho da inciativa ESPERANZA,  nas comunidades de Carriçal e Preguiça, no Concelho de Ribeira Grande, em São Nicolau
publicado por soniaelsymerino às 21:15
editado por INDP em 08/09/2010 às 12:56
19 Março 2010

 

Face à complexidade e transversalidade das questões relacionadas com a problemática ambiental a Câmara Municipal da Ribeira Brava, tem vindo a desenvolver actividades de sensibilização, sempre numa perspectiva de incutir às pessoas de que a preservação do ambiente deve ser uma tarefa de todos nós.

 

 

 Este desafio tem vindo a ser assumido pela sociedade na medida que começam a surgir iniciativas diversas que reflectem essa preocupação a nível das manifestações populares da ilha. Exemplo disso, é o tema desenvolvido pelo grupo carnavalesco BRILHO DA ZONA de Caleijão que decidiu este ano trazer para as ruas um carro alegórico com uma mensagem de preservação de Tartarugas Marinhas.

 

publicado por herculanocruz às 13:44
editado por INDP às 15:17
13 Fevereiro 2010

 

Longe se vão os anos, em que acossados pela fome, as gentes do interior demandavam a costa para procurar alimento. Desconhecedores das artes de pesca, uma opção fácil eram as tartarugas, que indefesas, vinham em grande numero desovar nas praias da ilha.

A fome acabou, mas o hábito persistiu, até que em 2006 (Município de Tarrafal) e 2009 (Município de Ribeiras Brava), resolveram agir.

Em Tarrafal, estima-se que a matança tenha diminuído em mais de 95%. Em 2006, mais de 2006 mais de 100 carapaças foram contadas em uma única praia (broco). Estima-se que, não mais que 5 cinco estejam a ser ilegalmente abatidas.

 

Concelho de Tarrafal

EROSÃO COSTEIRA, CAUSA DO REDUZIDO SUCESSO DE POSTURAS E BAIXA TAXA DE ECLOSÃO

PRAIA DE BARRIL – Havia informações que a “Praia Grande” constituía o principal ponto de desova. Infelizmente essa praia tinha sido totalmente destruída, e sua areia removida para aterrar valas de condutas de água. A então Comissão Instaladora, quase à revelia interditou a apanha do restava da areia dessa praia, tentou como pode, promover a sua reabilitação. Resultou como comprovam os dados. De zero ninhos em 2006, passou-se a 300

O passo seguinte foi a contratação de guardas, para fiscalização das sete praias mais importantes, que se dispersam por cerca de 17 Kms. Um valor que ascende a 1.120.000$00 ano, sem contar com outros encargos decorrentes da logística. Foi possível mobilizar 500 contos, e deu-se inicio à campanha.

 

SÃO FRANCISCO DE ASSIS, VELA PELAS TARTARUGAS DE TARRAFAL

PARCERIA COM CAPUCHINHOS, UM CASO DE SUCESSO

Fez-se forte sensibilização, efeito para o qual, além dos meios habituais (escolas, etc.) revelou-se providencial o envolvimento da paróquia local, sob o auspício da Congregação dos capuchinhos, que como é sabido, têm como patrono São Francisco de Assis, protector dos animais, ele que foi por João Paulo II, constituído “patrono da ecologia”.

CAUSAS NATURAIS, JÁ COMPROVADAS (MARESIAS), CAUSA DE PERDA DE VÁRIOS NINHOS

Nas praias de “d’baixo d’rotxa” e “Barril”, verificaram-se ao longo dos três anos, fortes maresias que arrastam a totalidade dos ninhos numa área da praia, o que em princípio obrigará à construção de viveiros (hatcheries)

Para reflexão:

DECISORES SENSIBILIZADOS, MEIO CAMINHO ANDADO NO SENTIDO DA OBTENÇÃO DE ENGAJAMENTOS.

CAMPANHA DE CARETA-CARETA, ATINGIU OUTRAS ESPÉCIES

A tartaruga de couro, localmente conhecida por “STRONG BÁI” outrora capturada para extracção do óleo, considero como portador de efeitos medicinais, continua a merecer alguma procura, mas hoje vem importado de outras ilhas.

 

MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS.

Público-alvo:

1.   Pessoal dirigente, professores, quadros … Parte-se do pressuposto, que se revelou falso, de que o nível de responsabilidade, habilitação, etc. era proporcional à ao nível de sensibilização, relativamente a questões ambientais. Importa começar por esses.

2.   Pescadores, e populações costeiras, foram ao longo dos tempos, tidos, como o público-alvo das campanhas. Estudos e observações têm demonstrado que os principais predadores, vêm das zonas altas. E há uma explicação; Em épocas de carestia, as populações costeiras sempre podiam pescar ao contrário das do interior, para as quais restava a apanha de tartarugas, hábito que resistiu à passagem do tempo, felizmente, agora, por mera tradição.

Nota: Izé Gaspar, foi um baleeiro, (Matou muitas baleias, - nessa altura era legal, mas não tartarugas) que iniciou o povoamento de Tarrafal, ainda no sec.XIX. atribuir seu nome ao blog, tem o propósito de resgatar a memória, e fazer um pouco da história desse Município, muito recente.

 

publicado por izegaspar às 11:06
editado por INDP em 22/02/2010 às 17:24
03 Julho 2009

Praias de desova de fêmeas Caretta caretta na ilha de S.Nicolau, Noroeste de Barlavento (Desenho colaboração da Dra. Silvana Monteiro Roque, base dados do PCTM- INDP 2006-2008.)

 

 

 

Nota: carregar no mapa para ampliar

 

publicado por INDP às 08:44
13 Maio 2009

 A zona Norte de Cabo Verde abriga um grande numero de tartarugas marinhas, com importantes praias de nidificação para as fêmeas da espécie Caretta caretta.

Os resultados de 2006 e 2007 demonstram que a maior ameaça para a população desovante de tartarugas marinhas é a rápida degradação das praias.
   
As ameaças identificadas na zona de estudo foram: 
 
São Nicolau a maresia destruiu 50% dos ninhos nas praias estudadas, a apanha de areia (Praia Grande, Barril, Brouco) e transformação das praias devido a urbanização e construção turística na orla costeira.
 
 
 
São Vicente, em ordem descendente, a apanha de areia e transformação da zona costeira (praia do Norte, praia Grande, Tupin), a iluminação costeira (praias de Galé, Lazareto, Laginha), a predação humana (praia de Calheta, Palha Carga, Praia do Norte, Praia Grande) e erosão costeira (Lazareto).
 
 
 
Santo Antão, as maiores ameaças se mantêm, a depredação humana, a construção de novas estradas na zona litoral, a urbanização costeira e a maresia que destruiu o 75% dos ninhos na zona da Comunidade da Cruzinha.

 

 

 

 

 

 

 

Os guardas ambientais desempenharam um papel estratégico não só de protecção como também na colecta de dados e monitorização de praias

 

Nota: para ampliar carrega nos mapas

publicado por INDP às 10:12
Newsletter

Introduza o seu endereço de e-mail:

pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Ótimo Trabalho
Trabalho valioso desta lembrança de resgate
Ainda bem que as pessoas ajudaram
verdade
Olá :)Este blog tem andado muito "sossegado", faz ...
Belíssimo este trabalho. Parabéns!
Posts mais comentados
blogs SAPO
Projecto:

Financiadores:
Patrocinadores:

Apoios:

Municípios:

Associações comunitárias:
  • Associação Comunitária Nova Experiência Marítima da Cruzinha da Garça
  • Escuteiros de Ponta de Pão, São Vicente
  • Espaço Jovem de São Vicente

  • Projecto ESPERANÇA em São Nicolau:

- COMUNIDADE DO CARRIÇAL
- COMUNIDADE DE PREGUIÇA