Tartarugas Marinhas de Cabo Verde
Plataforma de divulgação do trabalho em defesa das Tartarugas Marinhas em Cabo Verde
18 Outubro 2011

Apesar das dificuldades, o projecto esperança vai dando continuidade aos seus trabalhos de conservação, principalmente graças ao envolvimento da comunidade de Carriçal.

É que embora este ano praticamente não houve financiamento, os trabalhos foram sendo realizados graças ao envolvimento de alguns voluntários de Carriçal e Preguiça.

Segundo informações fornecidas pelos voluntários, que se encontram no terreno, este ano a época começou tarde. Mas mesmo assim não se pode considerar que foi uma má época, quando se analisa os resultados abaixo apresentados.

 

Comunidade de Preguiça

Somente foram realizadas prospecções esporádicas, pelo voluntário Manuel da Cruz (Lela), á praia de Porto Lapa, onde até o momento já foram marcados 12 ninhos. Entretanto não foi possível fazer o seguimento das outras praias da região.

No ano 2010, a praia de Porto Lapa estava muito má, sendo que praticamente não se verificaram actividades de TM nesta praia.

Comunidade de Carriçal

Graças ao envolvimento dos voluntários da comunidade, nomeadamente Sidney e Deolindo, tem-se conseguido realizar um notável trabalho de terreno na zona, embora os fracos recursos.

Este ano, os voluntários realizaram prospecções nas praias de Gombeza e Escagarra, e na praia de Carriçal realizaram trabalhos mais intensivos e com vigias nocturnas. E os resultados são notáveis:

  • Foram contabilizados 66 rastos na zona;
  • Em relação a ninhos identificaram 20 ninhos no Carriçal, 2 em Gombeza e 3 em Escagarra;
  • Marcaram 11 TM na praia de carriçal sendo que 1 fez 4 ninhos
  • E já lançaram mais de 400 tartaruguinhas ao mar.

 

 

A nós resta-nos agradecer a comunidade do Carriçal pelo envolvimento na conservação de TM e em especial aos voluntários Lela, Sidney e Deolindo pela dedicação, esforço e empenho que têm demonstrado.

Á todos muito Obrigado!

publicado por INDP às 16:22
02 Dezembro 2010

Na noite de 3 de Outubro, como já era de costume, o grupo de trabalho que se encontrava na comunidade de Carriçal foi pernoitar mais uma vez na praia. A primeira ronda da monitorização nocturna dos ninhos marcados foi realizada por volta das 21 horas. Tudo estava normal.

Já na segunda volta, excepto o ninho SN05, todos estavam normais, pois aquele apresentava uma depressão no centro. O grupo de monitores voluntários ficou tão feliz porque iria nascer o primeiro ninho da temporada. Só que as rondas e as horas foram passando e nada. Tudo permanecia igual.

 

 

Contradizendo a regra geral, de que as eclosões ocorrem a noite, desta vez foi por volta das 12 horas do dia 4 de Outubro que a cabeça da primeira tartaruguinha surgiu na areia. Após essa hora não faltavam pessoas na praia para ver o nascimento das tartaruguinhas, mas não nasciam e a espera foi longa, assim as pessoas iam e vinham.

 

   

 

Nesse dia havia muito Sol. Mas aos poucos apareciam mais cabecinhas no ninho. Então, para evitar que as tartaruguinhas morressem devido ao forte calor do Sol, um pano foi colocado a volta da rede, de forma a evitar a sua entrada directa do sol no ninho.

 

  

 

A espera foi longa. Assim, aproveitamos a movimentação em torno do ninho para se fazer sensibilização. Foi às 18:08 que, de uma assentada emergiram 63 tartaruguinhas.

 

 

Como muitos nunca tinham visto como ocorriam as eclosões, para os presentes a satisfação era grande. Já a noite acabaria por nascer mais 20, totalizado 83 tartaruguinhas nascidas dos 93 avos que se encontravam no ninho SN05.

 

   

 

No dia 5 de Outubro logo de manhã essas tartaruguinhas foram lançadas ao mar pelas mãos das crianças de Carriçal, para eles também a alegria de realizar tal acto foi evidente.

  

 

Esperamos que muitas delas consigam sofreviver e um dia Voltar a Carriçal para fazer o seu ninho.

publicado por INDP às 12:52
18 Novembro 2010

CONTINUANDO COM AS ACTIVIDADES REALIZADAS

   

  • Lançamento de tartaruguinhas ao mar

Como forma de sensibilização, as crianças do EBI e do Jardim Infantil de Carriçal foram convidadas a lançar tartaruguinhas ao mar, aproveitando-se sempre para responder as questões dos alunos e transmitir informações sobre as Tartarugas Marinhas e ainda mostrar porque que é importante a Conservação das TM.

 

 

Crianças do Jardim Infantil de Carriçal

 

 

Alunos da 1ª e 2ª Classe                                 Alunos da 3ª e 4ª Classe   

 

 

 Alunos de 5ª e 6ª Classe

 

Os adultos também foram convidados a lançar tartaruguinhas ao mar, pois embora a praia de Carriçal seja uma praia de desova de tartarugas uma boa parte da comunidade nunca viu uma tartarugas a desovar e nem tartaruguinhas a eclodir e indo ao mar.

 

Após o encontro com a comunidade...

 

De uma forma geral foi notável a emoção e felicidade, quer das crianças quer dos adultos durante o lançamento das tartaruguinhas ao mar.

  • Preparação e capacitação de voluntários

A participação dos voluntários iniciou-se no mês de Agosto, altura em que apreenderam a realizar as prospecções, medir e marcar tartarugas, marcar ninhos, etc. já no mês de Outubro tiveram oportunidade de apreender como colocar redes nos ninhos, seguimento de ninhos, medir e pesar crias, fazer escavações de ninhos após o período de eclosão (60 dias) esperado.

 

 

O trabalho foi sempre realizado com o apoio dos voluntários

 

Esses voluntários que foram treinados durante o período estão continuidade as trabalhos com os ninhos, pois ainda as eclosões não terminaram na praia de Carriçal.

 

Durante esse pouco mais de um mês esteve-se seguindo 24 ninhos, contudo ao sair de Carriçal ainda encontrava-se 10 por nascer. Pelas mãos das crianças de Carriçal foram lançadas ao mar 410 tartaruguinhas, no global mais de 500 foram para o mar, mas o nº aumentou porque já houve mais eclosões.

 

 

 

É de destacar o notável interesse e empenho que a comunidade vem demonstrando para a conservação das tartarugas.

 

 

Muito obrigado Comunidade de Carriçal

                                                                                             

Alciany da Luz (Bióloga Marinha)

publicado por INDP às 14:22
15 Novembro 2010

Durante o mês de Outubro um grupo, constituído por uma bióloga e voluntários, esteve a trabalhar na ilha de São Nicolau mais concretamente na comunidade de Carriçal – Ribeira Brava.

Várias actividades foram realizadas, de forma a dar continuidade aos trabalhos iniciados nos meses anteriores. Nesta fase realizou-se, de entre outras, as seguintes actividades:

 

 

Em Agosto e setembro ocorriam as desovas, já em Outubro ocorriam as eclosões

  • Seguimento de ninhos marcados

Desde o mês de Agosto que iniciaram as vigias nocturnas estivemos a marcar ninhos com paus, na praia de Carriçal, sendo que no total foram marcados 24 ninhos até finais de Setembro. Diariamente fazia-se a prospecção dos ninhos de forma a observar o estado que se encontravam e quando atingissem 45 dias colocava-se a rede fincando-se a aguardar a, muito ansiosamente a eclosão das crias.

 

 

Ninho marcado com pau                              Ninho já colacada a rede

  • Prospecção de praias de desova

As prospecções de rastos e ninhos continuaram durante o mês de Outubro nas praias de Carriçal e Gombeza, contudo na praia de Carriçal não foi registado nenhum rasto durante este mês. Mas em relação a praia da Gombeza foram registados 2 rastos mas nenhum ninho.

 

 

Praia de carriçal                                       Praia de Gombeza

  • Recolha de amostras genéticas

Durante o mês de Agosto foram recolhidas amostras de tartarugas que iam desovar na praia de Carriçal, já no mês de Outubro recolheu-se amostras de tartaruguinhas que nasciam. Este trabalho foi realizado num âmbito de um protocolo estabelecido entre o PCTM e IFM-Geomar.

 

 

1º - Media-se e pesava-se as tartaruguinas   2º - recolha da amostra genética

  • Encontros com a comunidade

De forma a conseguir um maior envolvimento da comunidade realizou-se dois encontros, em que o primeiro teve como principal objectivo mostrar a comunidade a filosofia do Projecto de conservação das Tartarugas Marinhas que é, a conservação baseada no desenvolvimento sustentável das comunidades.

 

 

                       Reuniões com a comunidade de Carriçal

 

Já o segundo encontro que foi realizado no final do mês de Outubro teve por finalidade apresentar um resumo dos resultados obtidos ate aquele momento e ainda apresentar/recolher propostas para a campanha de 2011.

 

 

CONTINUA...

 

 

publicado por INDP às 18:04
22 Setembro 2010

 

Mais de 120 membros da aldeia do Carriçal, em São Nicolau, demonstraram a sua determinação na protecção das tartarugas marinhas numa campanha de limpeza de uma praia de nidificação.

 

Com base no Projecto Esperança, a comunidade uniu esforços com a Câmara Municipal da Ribeira Brava para apoiar o plano de restauração da praia de Carriçal no âmbito da protecção das tartarugas marinhas.

 

O evento foi delineado de acordo com as instruções dadas por biólogos da SOS Tartarugas e do INDP, que visitaram recentemente a ilha de são Nicolau, de como melhorar a qualidade das praias de desova.

 

 

Nesse sentido foram discutidas quais as prioridades e as possíveis soluções para a melhoria das praias de nidificação com o técnico da área de saneamento da Câmara Municipal de Ribeira Brava, Herculano Cruz e com o professor e líder da comunidade Reinaldo Abreu do Reis.

 

As actividades consistiram na remoção de lixo, vidros partidos e de pedras e cascalhos resultantes das construções nas proximidades da praia.

 

Os voluntários de Ribeira Brava e do Carriçal trabalharam arduamente com pás, ancinhos e carrinhos de mão durante várias horas até a praia estar completamente limpa.

 

 

Os pescadores também deram o seu contributo. Depois de terem sido observados vários ninhos no areal onde deixavam os seus botes, lugar identificado pelos biólogos como sendo o melhor lugar para a desova das tartarugas, a segurança dos ninhos tornou-se uma preocupação.

 

Assim, cientes dos potenciais problemas associados à presença dos barcos, os pescadores não hesitaram em construir um pequeno cais para os acostar.

 

 

Para fechar o dia em grande e agradecer a comunidade pelo seu empenho na protecção das tartarugas marinhas houve festa, que durou até altas horas, com actuação do cantor Nelson Roque e animação de um DJ.

 

Os comes e bebes foram patrocinados pela Câmara Municipal da Ribeira Brava.

 

 

Esta actividade representa mais um passo na solidificação de um trabalho que beneficia tanto as tartarugas como a população local e mostra que não é preciso muito para que uma comunidade contribua para um mundo melhor.

publicado por INDP às 14:35
Newsletter

Introduza o seu endereço de e-mail:

pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Olá :)Este blog tem andado muito "sossegado", faz ...
Belíssimo este trabalho. Parabéns!
é sempre bom proteger as espécies em vias de extin...
Nossa, seria um sonho ver essas iniciativas explod...
Bem interessante, aqui no Rio de Janeiro nós també...
Que lega ver a tecnologia em função do meio ambien...
Posts mais comentados
blogs SAPO
Projecto:

Financiadores:
Patrocinadores:

Apoios:

Municípios:

Associações comunitárias:
  • Associação Comunitária Nova Experiência Marítima da Cruzinha da Garça
  • Escuteiros de Ponta de Pão, São Vicente
  • Espaço Jovem de São Vicente

  • Projecto ESPERANÇA em São Nicolau:

- COMUNIDADE DO CARRIÇAL
- COMUNIDADE DE PREGUIÇA