Tartarugas Marinhas de Cabo Verde
Plataforma de divulgação do trabalho em defesa das Tartarugas Marinhas em Cabo Verde
08 Setembro 2010

  

Em entrevista à responsável pelo Projecto de Conservação das Tartarugas Marinhas na ilha do Fogo, Silvana Roque,ficámos a saber que a campanha nesta ilha está a passar por sérias dificuldades.

 

“Se por um lado precisamos de pessoal especializado, como por exemplo biólogos, por outro precisamos de voluntários para ajudar na monitorização das praias”, admite Silvana Roque.

 

 

Actualmente só têm quatro guardas, dois em Santa Catarina e dois em São Filipe que ajudam na monitorização das praias, recolhendo dados de prospecção e número de ninhos. Silvana Roque reconhece que por não terem, neste momento, um biólogo, "os dados genéticos nem sempre são recolhidos o que é uma pena”.

 

“Vamos fazendo o trabalho que é possível com os guardas, mas precisamos de mão-de-obra”, lamenta.

 

Contudo, a responsável não perde o ânimo e adverte que “vamos continuar com o nosso objectivo que é a protecção das tartarugas independentemente das dificuldades que possam surgir”.

 

 O lado bom, como diz Silvana, é que apesar de tudo têm, na praia de Santa Catarina, mais de dez ninhos que eclodiram com uma taxa de 90 por cento de sucesso.

 

A mensagem que Silvana deixa à população da ilha do Fogo é que “siga o exemplo de São Vicente onde há um grande número de voluntários e envolvimento de várias entidades na protecção das tartarugas marinhas”.

publicado por INDP às 16:30
tags:
13 Fevereiro 2010

 

 

 

 

O Projecto Vitó no ano de 2009 recebeu 5 tartarugas marinhas para reabilitação. Três da espécie Chelonia mydas (Tartaruga Verde), 1 Caretta caretta e 1 Eretmochelys imbricata. A primeira tartaruga foi Vitó, que deu início e nome ao projecto, depois veio o Vitó Jr. e outros.
Todas essas tartarugas foram tratadas pela equipa do projecto com apoio técnico do veterinário Dr. Paulo Santos e da Dra. Sónia Merino, do INDP.
 

 Silvana Monteiro Roque

publicado por projectovito às 12:00
editado por INDP em 22/02/2010 às 17:22
tags: ,
13 Fevereiro 2010

 

De 6 a 13 de Fevereiro de 2010, foi realizado um seminário em São Vicente sobre a conservação das tartarugas marinhas. Nesse seminário estiveram reunidos representantes dos projectos de conservação das tartarugas marinhas de várias ilhas do arquipélago. O Projecto Vitó teve a oportunidade de relatar os resultados finais da implementação do projecto no concelho de São Filipe. O quadro seguinte ilustra os resultados dos trabalhos realizados pelos membros desse projecto nas praias do concelho de S. Filipe (Fonte Vila, Fonte Novo, Nossa Senhora e Praia do Topo - Vale dos Cavaleiros)
 
Dados
N ° ratos
N° ninhos
Tartarugas anilhadas
Tartarugas capturadas
Taxa de eclosão
Ninhos trasladados para o viveiro
Resultados
143
32
24
2
21,8
12
 
O Projecto agradece a todos os colaboradores, desde as entidades públicas e privadas até aos voluntários, sem os quais não seria possível a concretização do mesmo projecto.
 
  

 

publicado por herculanocv às 11:54
24 Setembro 2009

 

O Projecto Vitó encontrou até o momento 143 rastros tartarugas marinhas, sendo que 22 foram anilhadas. Foram identificados 31 ninhos nas praias de São Filipe. Deste total 12 foram translocados para o viveiro na Praia de Nossa Senhora da Encarnação, e 16 estão espalhados pelas praias.
Tivemos a perda de 2 ninhos que foram depredados por carangueijos e 1 foi levado pelo mar.
 
Três ninhos já eclodiram, e até o momento 62 tartaruguinhas foram entregues no mar.
 
O projecto Vitó conta com 2 guardas extremamente dedicados, Maduíno e Zé, e com o apoio incondicional da Delegação Marítima do Fogo, na pessoa do Delegado Marítimo Sr. Carlos Rocha.

publicado por INDP às 10:52
03 Agosto 2009

 Campanha Conservação das Tartarugas Marinhas em São Filipe, ilha de Fogo

Ponto da situação

 

Inicio das actividades: 1º de Julho.

 

Registados 77 rastros e 18 ninhos

- As praias de monitorização e prospecção são: Fonte Vila, Fonte Novo, Nossa Senhora e Vale dos Cavaleiros.

 

- Ainda, uma tartaruga de casco levantado (Eretmochelys imbricata) que estava ferida foi resgatada por um pescador e devolvida ao mar

 

Dados fornecidos por Silvana Monteiro, bióloga

Com apoio e assessoria técnico-científico do Instituto Nacional de Desenvolvimento das Pescas INDP, coordenam a campanha, as Delegações da Marinha e Portos e Ministério de Ambiente, Desenvolvimento Rural e Recursos Marinhos.

 
 
publicado por INDP às 12:05
Newsletter

Introduza o seu endereço de e-mail:

pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Olá :)Este blog tem andado muito "sossegado", faz ...
Belíssimo este trabalho. Parabéns!
é sempre bom proteger as espécies em vias de extin...
Nossa, seria um sonho ver essas iniciativas explod...
Bem interessante, aqui no Rio de Janeiro nós també...
Que lega ver a tecnologia em função do meio ambien...
Posts mais comentados
subscrever feeds
blogs SAPO
Projecto:

Financiadores:
Patrocinadores:

Apoios:

Municípios:

Associações comunitárias:
  • Associação Comunitária Nova Experiência Marítima da Cruzinha da Garça
  • Escuteiros de Ponta de Pão, São Vicente
  • Espaço Jovem de São Vicente

  • Projecto ESPERANÇA em São Nicolau:

- COMUNIDADE DO CARRIÇAL
- COMUNIDADE DE PREGUIÇA