Tartarugas Marinhas de Cabo Verde
Plataforma de divulgação do trabalho em defesa das Tartarugas Marinhas em Cabo Verde
18 Outubro 2011

Apesar das dificuldades, o projecto esperança vai dando continuidade aos seus trabalhos de conservação, principalmente graças ao envolvimento da comunidade de Carriçal.

É que embora este ano praticamente não houve financiamento, os trabalhos foram sendo realizados graças ao envolvimento de alguns voluntários de Carriçal e Preguiça.

Segundo informações fornecidas pelos voluntários, que se encontram no terreno, este ano a época começou tarde. Mas mesmo assim não se pode considerar que foi uma má época, quando se analisa os resultados abaixo apresentados.

 

Comunidade de Preguiça

Somente foram realizadas prospecções esporádicas, pelo voluntário Manuel da Cruz (Lela), á praia de Porto Lapa, onde até o momento já foram marcados 12 ninhos. Entretanto não foi possível fazer o seguimento das outras praias da região.

No ano 2010, a praia de Porto Lapa estava muito má, sendo que praticamente não se verificaram actividades de TM nesta praia.

Comunidade de Carriçal

Graças ao envolvimento dos voluntários da comunidade, nomeadamente Sidney e Deolindo, tem-se conseguido realizar um notável trabalho de terreno na zona, embora os fracos recursos.

Este ano, os voluntários realizaram prospecções nas praias de Gombeza e Escagarra, e na praia de Carriçal realizaram trabalhos mais intensivos e com vigias nocturnas. E os resultados são notáveis:

  • Foram contabilizados 66 rastos na zona;
  • Em relação a ninhos identificaram 20 ninhos no Carriçal, 2 em Gombeza e 3 em Escagarra;
  • Marcaram 11 TM na praia de carriçal sendo que 1 fez 4 ninhos
  • E já lançaram mais de 400 tartaruguinhas ao mar.

 

 

A nós resta-nos agradecer a comunidade do Carriçal pelo envolvimento na conservação de TM e em especial aos voluntários Lela, Sidney e Deolindo pela dedicação, esforço e empenho que têm demonstrado.

Á todos muito Obrigado!

publicado por INDP às 16:22
18 Outubro 2011

Apesar da fraca época que tivemos, relativamente a frequência de TM nas nossas praias em São Vicente, as eclosões já iniciaram e são sempre motivo de alegria.

As eclosões

A primeira eclosão aconteceu no dia 1 de Outubro por volta da 20:00, na praia do Galé. Do ninho, com 49 dias de incubação, nasceram as primeiras 24 Tartaruguinhas. Poucos dias depois nasciam mais 21 Tartaruguinhas, que nasceram simultaneamente de dois ninhos, do ninho que já havia eclodido e de um outro que já ia no 54º dia de incubação.

 

 

O lançamento ao Mar

Como as tartaruguinhas nasceram sábado a noite, o lançamento aconteceu no domingo de manhã (as 7h) na praia da Laginha. E como é hábito o acto chamou a atenção das pessoas que se encontravam na praia, que aproveitaram para fazer algumas perguntas, tais como: “ Onde nasceram?” “Quanto tempo levam para se reproduzirem pela primeira vez?” “ Se o facto de serem lançadas numa outra praia, que não aquela onde nasceram, irá as afectar quando forem adultas?” “Porque não deixamos elas crescerem um pouco mais antes de ás ao mar?” etc., e é claro que dentro das nossas possibilidades fomos respondendo as perguntas.

 

 

Para o 2º lançamento ao mar que aconteceu numa terça-feira a tarde (as 18h), foi possível convidar algumas crianças do EBI para o acto de lançamento, como já vem sendo hábito. Desta vez foi uma turma do 4º ano da Escola Aurélio Gonçalves, que participou no lançamento, e como sempre as perguntas das crianças, que são sempre bem-vindas, não faltaram.

 

 

 

Agora que estas tartaruguinhas já se encontram no seu lar, esperemos que tenham sorte para que algumas delas consigam chegar a fase adulta e um dia voltarem à uma das nossas praias para desovar.

 

 

publicado por INDP às 12:04
04 Outubro 2011

Em 2011, o número TM foi considerado muito baixo na nossa região, e para complicar mais a situação, desde o dia 1 de Setembro, encontra-se encalhado na zona da Galé (Lazareto), São Vicente, o rebocador Leopard, de nacionalidade ucraniana. Desde então vem derramando combustível no mar.

De acordo com as informações, disponíveis nos meios de comunicação o navio continha a bordo aproximadamente 500 toneladas de combustível. Contudo informações vinculadas no dia 29 de Setembro, dão conta que foram retiradas da embarcação 280 toneladas de gasóleo e água oleosa do navio, a noticia esta disponível no seguinte link: http://noticias.sapo.cv/inforpress/artigo/60636.html

 

Este ano decidimos colocar os ninhos que se encontravam em situação de risco na praia de galé, e com os pequenos derrames ocorridos até então nesta praia, ainda, não sabemos qual será o efeito que terá sobre eles. Na verdade, neste momento o risco não é apenas para os ninhos, mas também para todas a formas de vida existente na zona.

Contudo ainda o perigo não passou, porque segundo o mesmo artigo, não há certeza de que todo o combustível foi retirado. Isto põe a nu a fragilidade nacional em relação a um possível derrame, pois não temos condições para dar respostas em caso de acidentes simples como esse, quanto mais em casos mais complicados

Por cá teremos que continuar com o nosso trabalho, sempre com a esperança que o pior já passou, que os nossos ninhos estão salvos, aguardando as eclosões, previsto para o incio do mês de Outubro.

publicado por INDP às 10:21
04 Outubro 2011

Desde o início do Projecto de Conservação da Tartaruga Marinha, apercebeu-se que as praias que apresentavam maior frequência de TM na ilha de São Vicente eram as Praias Lazareto-Galé e toda a zona desde a Praia do Norte de Baia e a Praia Grande.

 

Mapa de São Vicente, assinalando as duas principais zonas do projecto (Lazareto e Norte de Baia)

 

Pois em 2007 nas prospecções realizadas, a volta de toda ilha, demonstraram que essas eram as praias de maior afluência de TM e ainda onde se encontravam os maiores indícios de capturas de TM, razão pela qual se decidiu que essas seriam as zonas prioritárias do projecto.

Contudo este ano de 2011 a afluência de tartarugas no mês de Agosto, época pico, foram muito baixas quando comparadas com os anos anteriores. O gráfico nos da uma ideia do decréscimo do nº de ninhos que temos verificado. Em relação a 2011 os dados são até o mês de Agosto.

É facto que para a maioria dos grupos de conservação a época iniciou-se tarde, quando comparada com os restantes anos, e nós não fomos excepção, contudo posteriormente houve uma melhoria das afluências de TM. Contudo na nossa região as melhorias não foram significativas.

No entanto, durante o mês de Agosto marcamos alguns ninhos e neste momento aguardamos as eclosões, espera-se que tenhamos sucessos com os ninhos.

publicado por INDP às 09:15
Newsletter

Introduza o seu endereço de e-mail:

pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Olá :)Este blog tem andado muito "sossegado", faz ...
Belíssimo este trabalho. Parabéns!
é sempre bom proteger as espécies em vias de extin...
Nossa, seria um sonho ver essas iniciativas explod...
Bem interessante, aqui no Rio de Janeiro nós també...
Que lega ver a tecnologia em função do meio ambien...
Posts mais comentados
subscrever feeds
blogs SAPO
Projecto:

Financiadores:
Patrocinadores:

Apoios:

Municípios:

Associações comunitárias:
  • Associação Comunitária Nova Experiência Marítima da Cruzinha da Garça
  • Escuteiros de Ponta de Pão, São Vicente
  • Espaço Jovem de São Vicente

  • Projecto ESPERANÇA em São Nicolau:

- COMUNIDADE DO CARRIÇAL
- COMUNIDADE DE PREGUIÇA