Tartarugas Marinhas de Cabo Verde
Plataforma de divulgação do trabalho em defesa das Tartarugas Marinhas em Cabo Verde
22 Setembro 2010

O biólogo voluntário da SOS Tartarugas, a trabalhar em parceria com o INDP, Jeff Kutz, esteve nos últimos meses nas ilhas de São Nicolau, São Vicente e Fogo para apoiar na avaliação e mapeamento das praias com melhores condições para a desova das tartarugas marinhas.

 

O trabalho consiste na medição da largura, comprimento e da inclinação das praias durante a maré alta “a fim de saber até onde vão as águas de modo a não inundarem os ninhos”, explica o Jeff Kutz.

 O biólogo esteve durante duas semanas na ilha do Fogo, a apoiar o PROJECTO VITÓ, e depois de analisar quase todas as praias da ilha reuniu informações que lhe permitem saber que praias apresentam as melhores condições para a nidificação, as com potencial para isso e ainda aquelas que não proporcionam as condições necessárias.

Algumas praias têm problemas de ordem natural, nomeadamente as marés, outras de índole humana, resultantes da apanha de areia ou então da caça de tartarugas”.

 

O trabalho foi feito por via terrestre e “nem sempre o acesso às praias se revelou uma tarefa fácil", revela o biólogo.

Jeff Kutz admite, por isso, que ainda há muito por fazer e adverte que, numa fase posterior, o acesso por mar permitirá uma melhor análise das regiões costeiras”.

Jeff Kutz, durante a sua estadia no Fogo, apoiou o Projecto Vitó na organização de um Workshop de sensibilização no âmbito da Campanha de Protecção das tartarugas com as comunidades de Cova Figueira e Ponta Verde e participou na monitorização das praias.

publicado por INDP às 14:50
22 Setembro 2010

 

Mais de 120 membros da aldeia do Carriçal, em São Nicolau, demonstraram a sua determinação na protecção das tartarugas marinhas numa campanha de limpeza de uma praia de nidificação.

 

Com base no Projecto Esperança, a comunidade uniu esforços com a Câmara Municipal da Ribeira Brava para apoiar o plano de restauração da praia de Carriçal no âmbito da protecção das tartarugas marinhas.

 

O evento foi delineado de acordo com as instruções dadas por biólogos da SOS Tartarugas e do INDP, que visitaram recentemente a ilha de são Nicolau, de como melhorar a qualidade das praias de desova.

 

 

Nesse sentido foram discutidas quais as prioridades e as possíveis soluções para a melhoria das praias de nidificação com o técnico da área de saneamento da Câmara Municipal de Ribeira Brava, Herculano Cruz e com o professor e líder da comunidade Reinaldo Abreu do Reis.

 

As actividades consistiram na remoção de lixo, vidros partidos e de pedras e cascalhos resultantes das construções nas proximidades da praia.

 

Os voluntários de Ribeira Brava e do Carriçal trabalharam arduamente com pás, ancinhos e carrinhos de mão durante várias horas até a praia estar completamente limpa.

 

 

Os pescadores também deram o seu contributo. Depois de terem sido observados vários ninhos no areal onde deixavam os seus botes, lugar identificado pelos biólogos como sendo o melhor lugar para a desova das tartarugas, a segurança dos ninhos tornou-se uma preocupação.

 

Assim, cientes dos potenciais problemas associados à presença dos barcos, os pescadores não hesitaram em construir um pequeno cais para os acostar.

 

 

Para fechar o dia em grande e agradecer a comunidade pelo seu empenho na protecção das tartarugas marinhas houve festa, que durou até altas horas, com actuação do cantor Nelson Roque e animação de um DJ.

 

Os comes e bebes foram patrocinados pela Câmara Municipal da Ribeira Brava.

 

 

Esta actividade representa mais um passo na solidificação de um trabalho que beneficia tanto as tartarugas como a população local e mostra que não é preciso muito para que uma comunidade contribua para um mundo melhor.

publicado por INDP às 14:35
08 Setembro 2010

  

Em entrevista à responsável pelo Projecto de Conservação das Tartarugas Marinhas na ilha do Fogo, Silvana Roque,ficámos a saber que a campanha nesta ilha está a passar por sérias dificuldades.

 

“Se por um lado precisamos de pessoal especializado, como por exemplo biólogos, por outro precisamos de voluntários para ajudar na monitorização das praias”, admite Silvana Roque.

 

 

Actualmente só têm quatro guardas, dois em Santa Catarina e dois em São Filipe que ajudam na monitorização das praias, recolhendo dados de prospecção e número de ninhos. Silvana Roque reconhece que por não terem, neste momento, um biólogo, "os dados genéticos nem sempre são recolhidos o que é uma pena”.

 

“Vamos fazendo o trabalho que é possível com os guardas, mas precisamos de mão-de-obra”, lamenta.

 

Contudo, a responsável não perde o ânimo e adverte que “vamos continuar com o nosso objectivo que é a protecção das tartarugas independentemente das dificuldades que possam surgir”.

 

 O lado bom, como diz Silvana, é que apesar de tudo têm, na praia de Santa Catarina, mais de dez ninhos que eclodiram com uma taxa de 90 por cento de sucesso.

 

A mensagem que Silvana deixa à população da ilha do Fogo é que “siga o exemplo de São Vicente onde há um grande número de voluntários e envolvimento de várias entidades na protecção das tartarugas marinhas”.

publicado por INDP às 16:30
tags:
07 Setembro 2010

             

 

Foi transladado para a praia da Laginha um ninho de tartaruga Caretta caretta, encontrado pelos voluntários durante a monitorização da praia do Norte de Baía na terça-feira, 1 de Setembro.

 

Com 88 ovos, o ninho “resgatado” corria risco de ser inundado quando foi encontrado pois, estava abaixo da linha da maré.

  

           

 

A transladação foi feita no mesmo dia para o ninho da Laginha e a data da eclosão está prevista para o dia 15 de Outubro, uma vez que este facto acontece sempre de 45 a 60 dias após a desova.  

 

A tartaruga Caretta caretta tinha 87cm de carapaça e foi marcada com as anilhas números 532 e 533.

            

 

Recordemos que a mudança de um ninho só deve ser feita única e exclusivamente em casos extremos e por pessoas capacitadas para tal. Além disso a mudança é feita até 6 horas depois da desova, antes do início da divisão celular para evitar a deformação do embrião.       

                                                                                                                                                                                  

              

                        Equipa de voluntários na praia da Laginha

 

Vamos cuidar do ninho da Laginha! 

 

Juntos podemos fazer melhor... 

publicado por INDP às 10:46
Newsletter

Introduza o seu endereço de e-mail:

pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Olá :)Este blog tem andado muito "sossegado", faz ...
Belíssimo este trabalho. Parabéns!
é sempre bom proteger as espécies em vias de extin...
Nossa, seria um sonho ver essas iniciativas explod...
Bem interessante, aqui no Rio de Janeiro nós també...
Que lega ver a tecnologia em função do meio ambien...
Posts mais comentados
subscrever feeds
blogs SAPO
Projecto:

Financiadores:
Patrocinadores:

Apoios:

Municípios:

Associações comunitárias:
  • Associação Comunitária Nova Experiência Marítima da Cruzinha da Garça
  • Escuteiros de Ponta de Pão, São Vicente
  • Espaço Jovem de São Vicente

  • Projecto ESPERANÇA em São Nicolau:

- COMUNIDADE DO CARRIÇAL
- COMUNIDADE DE PREGUIÇA